Recém-criado, iFood recebe aporte de fundo

Terça-feira, 02 de Agosto de 2011

 

Depois do telefone, a internet. O empresário Patrick Sigrist, que criou o Disk Cook, serviço de "delivery" (entrega) para restaurantes de alto padrão, aposta agora que o consumidor usará cada vez mais a web para pedir refeições para comer em casa. Com mais três sócios, ele lançou em maio o iFood, uma espécie de praça de alimentação on-line, com cardápios de 230 estabelecimentos que vão de Pizza Hut e Bob's ao sofisticado Antiquarius.

O site acaba de receber um novo investidor, o Warehouse, fundo de venture capital brasileiro voltado para as áreas de tecnologia, comércio eletrônico e projetos "verdes", como de reciclagem e bioenergia. Foi feito um primeiro aporte, de R$ 3,1 milhões, com o objetivo de expandir a operação do iFood para as principais capitais do país. Hoje, o serviço está disponível nas cidades de São Paulo, Santos e Rio de Janeiro.

Segundo Felipe Fioravante, diretor e sócio do iFood, em um prazo de cinco anos, a intenção é estar presente em todos os Estados, contar com uma oferta de 7 mil restaurantes e movimentar R$ 150 milhões por ano em pedidos. Hoje o iFood recebe 12,5 mil pedidos, que geram um movimento de R$ 800 mil ao mês aos estabelecimentos.

"O Brasil tem muito a crescer no mercado de alimentação fora do lar. Aliado a isso, perdeu-se o medo de comprar pela internet", diz Fioravante. Com o aumento da renda, o setor de alimentação fora do lar (que inclui o "delivery" de refeições) dobrou de tamanho em seis anos, para R$ 185,5 bilhões em 2010. Este ano, deve crescer entre 15% e 16%, segundo a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia).

Pelo modelo de negócio do novo site, os estabelecimentos pagam uma comissão de 10% sobre o valor de cada compra realizada. Em casa ou no escritório, o consumidor faz a escolha dos itens do cardápio, fecha a conta pela internet e a descrição do pedido sai em um tíquete impresso no restaurante por uma maquineta sem fio semelhante às usadas nas operações de cartão de crédito. Além de fornecer a plataforma tecnológica para realização das transações, o iFood desenvolve ações de marketing e relacionamento. O restaurante se encarrega da entrega do pedido.

"O iFood é uma evolução do Disk Cook", diz Patrick Sigrist. Criado em 1997, o Disk Cook responde pelo serviço de entrega de cerca de 100 restaurantes no Rio e em São Paulo. O estabelecimento só precisa preparar e embalar a comida. A experiência levou a empresa a gerir toda a operação de entrega de terceiros, como as lojas da Pizza Hut na Grande São Paulo, além dos pedidos recebidos via Disk Cook.

A internet começou a ser trabalhada em 2000, como uma opção aos pedidos por telefone. Ganhou força em 2009, com a entrada de Felipe Fioravante e outros dois sócios - Eduardo Baer e Guilherme Bonifácio -, que começaram a desenvolver mais o braço on-line da companhia. Naquele ano, 16% dos pedidos do Disk Cook eram feitos por esse novo canal. Hoje são 42%.

Em clientes como a Pizza Hut em São Paulo, a internet já responde por 20% dos pedidos de "delivery". Pelas estimativas de Jorge Aguirre, diretor-geral da Internacional Restaurantes do Brasil, franqueada da rede americana para a Grande São Paulo, essa fatia deve subir para 35% até 2012. Dos 17 restaurantes da bandeira na região, 8 têm serviço de entrega. "Há algum tempo, não só está havendo uma migração do telefone para a internet, como há novos consumidores [jovens mais afeitos às novas tecnologias] aderindo a essa conveniência", diz Aguirre. Segundo ele, com mais tempo para escolher do que numa chamada telefônica, o cliente da web faz pedidos com tíquete médio 20% maior.

Fonte: Valor Econômico

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação